Nas palavras bebo das saudades que me assolam a alma!
Nas palavras alimento a minha sede de amar!




2 de agosto de 2011

Da (in)constância da (in)consciência

"Se eu pudesse te dizer, aquilo que nunca te direi.
Tu poderias entender, aquilo que nem eu sei."
Freud 

7 comentários:

Malu disse...

Eu sabia!!! Até Freud tinha suas profusões...
Abraços

Moi disse...

Malu,
Todos temos...

:)

Don Juan disse...

Moi, á citação de Freud , nada mais acrescento...

Obgº pelas suas visitas.

Beijo

Moi disse...

Don Juan,
Não há nada a agradecer! Visito porque gosto do que partilhas.

Beijo!

Lost Soul disse...

quem sabe sabe!


beijo

Moi disse...

Lost,
E mais nada!


:)

Ulda Regina disse...

Boa noite!
Estás de parabéns pelo blog.
Gosto de navegar pelo pensamentos alheios e deparei-me com as tua citações postadas aqui, porém, ao ler Da (in)constância da (in)consciência, tenho como autor da poesia "O que nunca te direi", Fernando Pessoa e não Sigmund Freud. Segue o poema completo.

"O que nunca te direi"

O Que Nunca Te direi
Poema – Fernando Pessoa
Musica – Custódio Castelo

“Se eu te pudesse dizer
O que nunca te direi
Tu terias que entender
Aquilo que nem eu sei”

Olhas para mim ás vezes
Como quem sabe quem sou
Depois passam dias meses
Sem que vás por onde vou

Vai longe na serra alta
A nuvem que nela toca
Dá-me aquilo que me falta
Os beijos da tua boca

Como nuvens pelo céu
Passam os sonhos por mim
Nenhum dos sonhos é meu
Embora eu os sonhe assim

Não sei que grande tristeza
Agradeço, se puder verificar a veracidade.
Atenciosamente,
Ulda Regina