Nas palavras bebo das saudades que me assolam a alma!
Nas palavras alimento a minha sede de amar!




14 de novembro de 2012

Somos a primeira pessoa do plural...

"Repito para mim próprio: estamos tão perto uns dos outros. Não há nenhum motivo para acreditarmos que ganhamos se os outros perderem. Os outros não são outros porque levam muito daquilo que nos pertence e que só pode existir sendo levado por eles. Eles definem-nos tanto quanto nós os definimos a eles. Eles são nós. Eles somos nós. Se tivermos essa consciência, podemos usar todo o seu tamanho. Mesmo que pudéssemos existir sozinhos, de olhos fechados, com os ouvidos tapados, seríamos já bastante grandes, mas existe algo muito maior do que nós. Fazemos parte dessa imensidão. Somos essa imensidão que, vista daqui, parece infinita."
José Luís Peixoto

6 comentários:

Nilson Barcelli disse...

E como seria interessante se todos dissessem sempre "nós".
Beijinho, querida amiga.

Moonlight disse...

Minha querida Moi

Por mais que muitas vezes a gente sinta que não precisa de ninguêm....é verdadeiramente mentira.
Nós precisamos dos ouros assim como os outros precisam de nós e isso faz com que a distancia entre nós e os outros seja tão minima que entretando quando damos conta estamos perto demais.
Gosto muito de Luis Peixoto apesar de achar que este escritor tem uma mente um tanto ou quanto demente.

Bjinhos cheios de luar,já tinha saudades tuas

Moi disse...

Nilson,
Nós somos muito(s)...






Beijocas em TI

nikita disse...

Fala-se muito no "nós", mas infelizmente é uma mentira quando ouvimos certas bocas proclamar um "nós" que não praticam...
Sabes, o egoísmo está a ganhar cada dia mais terreno.

Moi disse...

Moon,
Por mais que a gente queira não somos ilha isolada no mundo, estamos todos interligados de alguma forma, somos energia viva!

Gosto muito deste escritor, mas não é de leitura fácil, e a mente dele, é de certo um labirinto sem igual. Existirá poeta, artista... sem uma mente um tanto para além dos outros? Penso que não.






Beijinhos, minha querida

Moi disse...

nikita,
Infelizmente sou obrigada a concordar contigo... vivemos a era do EU. Eu também gosto do eu, mas numa versão humanizada, se é que me faço entender!
Acho que me entendes bem! ;)






Beijo grande